Sobre nós

Evidências clínicas fiáveis

No mesmo espírito dos nossos pioneiros, estamos empenhados em manter os mais elevados padrões de evidência científica. Os nossos produtos são avaliados tanto por testes mecânicos como por estudos clínicos.

Liderança científica desde o início

Seguindo as pegadas dos pioneiros

Os nossos produtos têm sido postos à prova na prática clínica diária desde que Per-Ingvar Brånemark colocou o primeiro implante em 1965. Gösta Larsson foi o primeiro paciente num estudo clínico que acabou por incluir 211 pacientes, 235 mandíbulas e 1618 implantes de titânio.

Nessa altura, o tratamento com implantes não era bem conhecido nem aceite. Foram necessárias evidências científicas para convencer a comunidade médica de que os tratamentos com implantes eram seguros, fiáveis e duradouros.

Hoje em dia, a reabilitação oral com base em implantes é o tratamento recomendado e os nossos produtos encontram-se entre os mais bem documentados do mundo. Existem mais de 4400 publicações científicas independentes com dados sobre as nossas soluções. O nosso implante Brånemark System é utilizado clinicamente há mais de 45 anos. E a superfície moderadamente rugosa do nosso implante TiUnite foi documentada em mais de 275 publicações sobre estudos clínicos, com mais de 13 000 pacientes, 42 000 implantes e cerca de 12 anos de acompanhamento.

Máxima transparência

Os estudos feitos sobre os nossos produtos seguem o princípio da máxima transparência. Ao contrário de muitos outros fornecedores de implantes, definimos a linha de base radiográfica no momento da colocação do implante em vez de o fazermos aquando da colocação da prótese, algumas semanas ou meses mais tarde. Isso significa que comunicamos a alteração justa óssea marginal total sem omitir a resposta óssea inicial pronunciada à cirurgia de implantação.

Os implantes não são todos iguais

A ideia de que os implantes dentários são um tratamento “completamente desenvolvido” e de que as evidências científicas são, por isso, menos relevantes, está a ser vulgarizada por diversos fornecedores de implantes. Embora os implantes dentários possam parecer semelhantes, o seu desempenho não é igual. Um consultório dentário teve de aprender isto da pior forma.

Superfície do implante TiUnite

Quando mudaram dos implantes com superfície TiUnite para implantes com uma superfície alterada quimicamente, o seu estudo de controlo de qualidade revelou uma duplicação na taxa de insucesso dos dispositivos, mesmo após excluir os primeiros 100 implantes devido à curva de aprendizagem. Tal fez com que voltassem imediatamente a utilizar os implantes TiUnite, regressando assim aos níveis normais de taxa de insucesso.2

Seleção cuidadosa de materiais e testes minuciosos

Inspeção de controlo de qualidade dos produtos acabados

Escolhemos todos os materiais com extremo cuidado, quer se trate de metais, cerâmica ou plástico. Tudo tem de satisfazer os mais elevados padrões, incluindo de biocompatibilidade, força e longevidade. O titânio comercialmente puro usado nos nossos implantes, por exemplo, é muito mais forte do que o titânio c.p. habitual. Aumentamos significativamente a sua força através do nosso processo de trabalho a frio. Todos os nossos produtos passam por testes de acordo com as normas ISO, contribuindo para assegurar que resistem à prova do tempo.

Gestão de qualidade de acordo com as normas ISO

Gestão de qualidade de acordo com as normas ISO

Os seus pacientes só querem os melhores produtos. Todos os nossos produtos, incluindo as restaurações protéticas individualizadas NobelProcera, são desenvolvidos e produzidos de acordo com o nosso sistema de gestão de qualidade que cumpre a norma ISO 13485. Os processos que utilizamos são regularmente auditados pelo organismo notificado BSI e inspecionados por autoridades competentes, tais como a FDA (Food and Drug Administration – Agência para os Produtos Alimentares e Medicamentos dos EUA).

Bibliografia

1 Rieben AS, Jannu A, Alifanz J, Noro A, Sahlin H. Comparison of Various Study Protocols - A Literature Review [#47], in 25th Anniversary Meeting of the Academy of Osseointegration, March 4-6, 2010, Orlando, FL, USA

2 Hujoel P, Becker W, Becker B, Monitoring failure rates of commercial implant brands; substantial equivalence in question? Clin Oral Implants Res. 2013; 24(7): 725-9